Vocacional Oblata: Mês da Mulher - Vitórias e conquistas - Superção

domingo, 12 de março de 2017

Mês da Mulher - Vitórias e conquistas - Superção

Neste mês onde celebramos o Dia Internacional da Mulher queremos apresentar as vitórias conquistas e superações de mulheres que são atendidas em nossas unidades. 

Vamos conhecer a história de Lilian que fazia programas nos hotéis da zona boemia de Belo Horizonte e conheceu a Pastoral da Mulher de BH (Projeto Oblata Diálogos pela liberdade) participando de um curso de pintura, o que a levou a uma grande mudança de vida. Confira o relato:

“Troquei a bebida pela pintura”

O começo
Fui à Pastoral e me interessei pelo curso de pintura. A Ir. Leonira foi quem me ensinou e me apoiou no início. Naquela época bebia muito, e aí comecei parar de beber para poder comprar material de pintura. Nisso todo mundo viu que eu tinha talento e fiz outros cursos até interessar-me pelas bolsas. Aos poucos conseguimos montar o grupo Começar de Novo, inicialmente com 5 pessoas, infelizmente as outras não prosseguiram e só eu continuei.

A descoberta das próprias potencialidades
Foi uma surpresa para mim, porque não pensava que seria capaz de conseguir isso, mas eu acabei me apaixonando pelo tecido, pela bolsa, pelo fato de viver outra vida, e fui vendo o que dava certo. Eu vendia outras coisas, fiz panos de prato, porta pão, e descobri que a bolsa dava dinheiro. Comprovei que outras pessoas valorizavam o que fazia. Foi a realização de um sonho.

O início do empreendimento
Foi crescente, eu comecei com pouquinho. Fui à feira da Av Bernardo Monteiro, onde o primeiro que vendi foi um porta pão. Por incrível que pareça, eu nunca fiquei sem vender nada, toda vez que eu ia eu vendia alguma coisa, e hoje eu já vendo no mínimo 5 ou 6 peças em cada feira. Hoje, eu já tiro meu salário da venda dos meus produtos, a venda mais fraca, eu tirei R$ 2.000,00.

A maior satisfação
Criar, fazer algo com as próprias mãos e isso ser valorizada e reconhecida, é um prêmio. A gente correu uma corrida muito longa e cansativa, teve muitas dificuldades, mas agora quando vejo alguém usando minhas bolsas, é uma medalha, não apenas pelo valor financeiro, mas, sobretudo pela satisfação de ver uma pessoa elogiando, achando bonito algo criado por mim. E a satisfação de ver como isso se multiplica quando a pessoa que recebeu de presente, vai lá na feira para comprar outras bolsas e dar de presente para outras pessoas.

Um sonho
Montar uma equipe de produção para a gente exportar, montar uma fábrica, mas não uma fábrica tradicional, mas uma fábrica de economia solidária onde todo mundo trabalha, todo mundo é patrão, todo mundo é companheiro. Em realidade este é meu segundo sonho, porque o primeiro já foi realizado.

Conselhos
Não desistir no 1° obstáculo; não desanimar nunca; lutar sempre; ouvir muito o conselho de outras pessoas(no meu caso o conselho da Pastoral) e depois trabalhar. O segredo é trabalhar.


Texto fornecido pelo Projeto Oblata Diálogos pela liberdade.

Nenhum comentário: