Vocacional Oblata: Julho 2014

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Especial Mês Vocacional no Blog Oblatas

"Enviai Senhor, operários para a vossa messe"

"Somos 'imagem e semelhança de Deus'. Levamos em nossa vida a semente da felicidade. Somos morada de tantas coisas belas. No entanto, parece que andamos preocupadas/os com as coisas externas e nos distanciamos das realidades que moram em nós. Muitas vezes fugimos do nosso interior, espaço íntimo do encontro com o mistério da vida."
(Pe. Vicente de Paula Ferreira, C.Ss.R..)


Neste mês de agosto, a Igreja nos convida a compreender sobre a vocação humana e cristã. Somos chamadas e chamados a refletir o que é o mistério da vocação e sua missão em nossas vidas. Geralmente as pessoas não têm um entendimento do profundo sentido da vocação e ficam apenas na superficialidade das aptidões  profissionais.

A partir de amanhã (01 de agosto de 2014) VOCÊ é nossa/o convidada/o a acompanhar aqui no Blog Oblatas um mês especial de textos, reflexões e testemunhos voltados à questão vocacional.


Acompanhe, Comente, Curta e Compartilhe!
Faça parte do Blog Oblatas!


Encontrando-te Senhor


Evangelho do dia - 31/07/2014


Evangelho (Mt 13,47-53)

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: “O Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar e que apanha peixes de todo tipo. Quando está cheia, os pescadores puxam a rede para a praia, sentam-se e recolhem os peixes bons em cestos e jogam fora os que não prestam. Assim acontecerá no fim dos tempos: os anjos virão para separar os homens maus dos que são justos, e lançarão os maus na fornalha de fogo. E aí, haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isso?” Eles responderam: “Sim”. Então Jesus acrescentou: “Assim, pois, todo mestre da Lei, que se torna discípulo do Reino dos Céus, é como um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas”. Quando Jesus terminou de contar essas parábolas, partiu dali.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Evangelho do dia - 30/07/2014

Evangelho (Mt 13,44-46)

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: “O Reino do Céus é como um tesouro escondido no campo. 
Um homem o encontra e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquele campo. O Reino dos Céus também é como um comprador que procura pérolas preciosas. 
Quando encontra uma pérola de grande valor, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquela pérola”.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Evangelho do dia - 29/07/2014


Evangelho (Jo 11,19-27)

Naquele tempo, muitos judeus tinham vindo à casa de Marta e Maria para as consolar por causa do irmão. Quando Marta soube que Jesus tinha chegado, foi ao encontro dele. Maria ficou sentada em casa.

Então Marta disse a Jesus: “Senhor, se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido. Mas mesmo assim, eu sei que o que pedires a Deus, ele te concederá”. Respondeu-lhe Jesus: “Teu irmão ressuscitará”. Disse Marta: “Eu sei que ele ressuscitará na ressurreição, no último dia”.

Então Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que morra, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá jamais. Crês isto?” Respondeu ela: “Sim, Senhor, eu creio firmemente que tu és o Messias, o Filho de Deus, que devia vir ao mundo”.


segunda-feira, 28 de julho de 2014

Evangelho do dia - 28/07/2014

Evangelho (Mt 13,31-35)

Naquele tempo, Jesus contou-lhes outra parábola: “O Reino dos Céus é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo. Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E torna-se uma árvore, de modo que os pássaros vêm e fazem ninhos em seus ramos”. Jesus contou-lhes ainda uma outra parábola: “O Reino dos Céus é como fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado”. Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões. Nada lhes falava sem usar parábolas, para se cumprir o que foi dito pelo profeta: ‘Abrirei a boca para falar em parábolas; vou proclamar coisas escondidas desde a criação do mundo’.

domingo, 27 de julho de 2014

Evangelho do dia - 27/07/2014

Evangelho (Mt 13,44-52)

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo. Um homem o encontra e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquele campo.

O Reino dos Céus é também como um comprador que procura pérolas preciosas. Quando encontra uma pérola de grande valor, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquela pérola.

O Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar e que apanha peixes de todo tipo. Quando está cheia, os pescadores puxam a rede para a praia, sentam-se e recolhem os peixes bons em cestos e jogam fora os que não prestam.

Assim acontecerá no fim dos tempos: os anjos virão para separar os homens maus dos que são justos, e lançarão os maus na fornalha de fogo. E aí haverá choro e ranger de dentes.

Compreendestes tudo isso?” Eles responderam: “Sim”.

Então Jesus acrescentou: “Assim, pois, todo o mestre da Lei, que se torna discípulo do Reino dos Céus, é como um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas”.

sábado, 26 de julho de 2014

Evangelho do dia - 26/07/2014

Evangelho (Mt 13,16-17)

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Felizes sois vós, porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejavam ver o que vedes, e não viram, desejavam ouvir o que ouvis, e não ouviram”. 

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Evangelho do dia - 25/07/2014

Evangelho (Mt 20,20-28)

Naquele tempo, a mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se de Jesus com seus filhos e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido. Jesus perguntou: “O que tu queres?” Ela respondeu: “Manda que estes meus dois filhos se sentem, no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda”.

Jesus, então, respondeu-lhes: “Não sabeis o que estais pedindo. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?” Eles responderam: “Podemos”. Então Jesus lhes disse: “De fato, vós bebereis do meu cálice, mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. Meu Pai é que dará esses lugares àqueles para os quais ele os preparou”.

Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram irritados contra os dois irmãos. Jesus, porém, chamou-os e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações têm poder sobre elas e os grandes as oprimem. Entre vós não deverá ser assim. Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo. Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor de muitos”.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Caminhar


Evangelho do dia - 24/07/2014

Evangelho (Mt 13,10-17)

Naquele tempo, os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que tu falas ao povo em parábolas?” Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos Céus, mas a eles não é dado. Pois à pessoa que tem, será dado ainda mais, e terá em abundância; à pessoa que não tem, será tirado até o pouco que tem. É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque olhando, eles não veem, e ouvindo, eles não escutam, nem compreendem. Deste modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir, sem nada entender. Havereis de olhar, sem nada ver. Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’. Felizes sois vós, porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes, e não viram, desejaram ouvir o que ouvis, e não ouviram”.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Evangelho do dia - 23/07/2014

Evangelho (Mt 13,1-9)

Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da Galileia. Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia. E disse-lhes muitas coisas em parábolas:

“O semeador saiu para semear. Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram. Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. Mas, quando o sol apareceu, as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz.

Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas. Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. Quem tem ouvidos, ouça!”

terça-feira, 22 de julho de 2014

Evangelho do dia - 22/07/2014

Evangelho (Jo 20,1-2.11-18)

No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. Então ela saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo, aquele que Jesus amava, e lhes disse: “Tiraram o Senhor do túmulo, e não sabemos onde o colocaram”. Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. Viu, então, dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés. Os anjos perguntaram: “Mulher, por que choras?” Ela respondeu: “Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”. Tendo dito isto, Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé. Mas não sabia que era Jesus. Jesus perguntou-lhe: Mulher, por que choras?A quem procuras?” Pensando que era o jardineiro, Maria disse: “Senhor, se foste tu que o levaste dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”. Então Jesus disse: “Maria!” Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: “Rabunni” (que quer dizer: Mestre). Jesus disse: “Não me segures. Ainda não subi para junto do Pai. Mas vai dizer aos meus irmãos: subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: “Eu vi o Senhor”, e contou o que Jesus lhe tinha dito.

Maria Madalena: A Discípula do Amor Kénosis

Miriam de Magdala, “A torre do rebanho”, Maria Madalena, ou simplesmente Madalena...
Por sua condição “Mulher”, carregastes ao longo da história os dilemas de uma ideologia dicotômica, patriarcal, machista, moralista, desumana e anticristã. Valores que se caracterizam pela vaidade humana. 

Não é à toa que os evangelhos a citam com frequência, num contexto onde ser mulher era ser discriminada. Lá estava você, Madalena! À caminho e em busca de sentido, almejando vida. Vida que sinaliza, ainda que na condição humana, o verdadeiro sentido de viver a vida. 

Encontrastes porque procurastes Madalena! Procurastes paz e encontrastes a paz inquieta! Paz que é sinônimo de gestação, de parto, de vida... Fostes ousada, Madalena! Diga-nos o que te moveu, fazendo-a seguir o Mestre na sua trajetória missionária e redentora. Vivias com tanta abnegação, coragem, esperança, fé. 

Soubestes vencer as barreiras do preconceito, do medo e da dor em busca do pleno amor. Amor que une e não separa.  Amor que ultrapassa a condição animal, sem, no entanto, negar a beleza de tal estágio. Ao se encontrar na condição humana, e só por tê-la vivido com intensidade, conseguistes transcender e vislumbrar o perfume da essência de Deus.

E Entre elas, as Mulheres da Caminhada, estava você Maria Madalena! Exemplo de discípula fiel, perseverante, humana... Com Maria – a Mulher do Sim e do Não. A Cristã por excelência. A Mãe da VIDA, e outras santas mulheres; seguistes a via cruzes. O que as sustentavam na caminhada diante do sofrimento do Amado?

Permanecestes perto da cruz. João, considerado “o discípulo amado” também estava lá. Tod@s em igual posição: de pé. Isso porque o amor ultrapassa a lógica humana, foge de fórmulas, exala como a mais pura essência e se deixa encontrar nos mínimos detalhes da vida. Nos confunde quando não conseguimos compreender, mas vem ao encontro de quem se deixa encontrar.   

Objetividade e subjetividade, lógica e intuição, racionalidade e sensibilidade... Ainda hoje, Madalena, observamos que o mundo continua sedento da graça da integração. Se “a criação geme em dores de parto” é por escassez do princípio da reconciliação entre o masculino e o feminino. Há excessos e falta equilíbrio.  

Ficaram assentadas em frente ao sepulcro. O que a intuição feminina sinalizava em suas entranhas? Sim! Pois aos discípulos também foi revelado que o Mestre Ressuscitaria. E vocês estavam lá, vagando pelas proximidades do sepulcro, procurando brechas, espaços, oportunidades...

Madalena, provavelmente vocês foram tidas como loucas, histéricas, paranóicas... e isso era o mínimo em se tratando da categoria “mulher”. Entender o caminho “ilógico” que vocês trilharam só através dos olhos da fé.

Saíram cedo “quando ainda estava escuro”. Tempo físico e psicológico se entrecruzam. Viviam o luto em silêncio. O silêncio da contemplação. Dessa forma caminhavam rumo ao sepulcro, com passos largos, firmes e rápidos. Levavam perfumes para ungi o corpo do Mestre que descansava. 

O medo que paralisa não as impediu de continuar caminhando. Vocês conseguiram vislumbrar no raiar do dia a “pedra removida”.  Era o “primeiro dia da semana”, “depois do sábado”. O antigo cede espaço ao novo sem deixar de ser base e fundamento. Mas é no novo que revivemos e retomamos a caminhada.  

Maria Madalena, você viveu a experiência de enxergar o Senhor Ressuscitado. Foste enviada por Ele com a missão de proclamar a Boa Nova da Vida que vence a morte: “Estava escuro, mas amanheceu! O sol nasceu! “Eu vi o Senhor!””

Madalena, você sentiu, olhou e viu. Reviveu com a VIDA num espaço onde é comum encontrar morte. Por tão grande mérito, és Missionária Cristã da Vida. Não queimastes etapas. Ao viver o luto, soubestes enxergar a verdadeira luz.

Com o evangelista Marcos, Madalena, nos alegramos e ousamos dizer: “o absurdo da ressurreição” tem cara de mulher. Você nos fala de perseverança, protagonismo, autonomia, resiliência, liberdade, vida.

Ó Madalena! Por tanto amar soubestes seguir o Mestre antes: Amor Misericórdia; durante: Amor Redenção e depois: Amor Ressurreição. Conseguistes enxergar o Amor e consequentemente viver a plenitude integradora desse Amor.

Agora entendi o que te movia Miriam de Magdala – admirável “Torre do Rebanho”! Para olhar como olhastes, sentir como sentistes, seguir como seguistes, viver como vivestes, acreditar como acreditastes, fazer o que fizestes, esperar como esperastes, anunciar como anunciastes... Só com Amor, vivendo o Amor, por meio do Amor e se tornando Amor...


Por: Lucinete dos Santos
Educadora Social da Unidade
 Oblata de Belo Horizonte


segunda-feira, 21 de julho de 2014

Evangelho do dia - 21/07/2014

Evangelho (Mt 12,38-42)

"Naquele tempo, alguns mestres da Lei e fariseus disseram a Jesus: “Mestre, queremos ver um sinal realizado por ti”. Jesus respondeu-lhes: “Uma geração má e adúltera busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal do profeta Jonas.

Com efeito, assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim também o Filho do Homem estará três dias e três noites no seio da terra. No dia do juízo, os habitantes de Nínive se levantarão contra essa geração e a condenarão, porque se converteram diante da pregação de Jonas. E aqui está quem é maior do que Jonas. No dia do juízo, a rainha do Sul se levantará contra essa geração, e a condenará, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E aqui está quem é maior do que Salomão".

domingo, 20 de julho de 2014

Evangelho do dia - 20/07/2014

Evangelho (Mt 13,24-43)

Naquele tempo, Jesus contou outra parábola à multidão: “O Reino dos Céus é como um homem que semeou boa semente no seu campo. Enquanto todos dormiam, veio seu inimigo, semeou joio no meio do trigo, e foi embora. Quando o trigo cresceu e as espigas começaram a se formar, apareceu também o joio. Os empregados foram procurar o dono e lhe disseram: ‘Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde veio então o joio?’

O dono respondeu: ‘Foi algum inimigo que fez isso’. Os empregados lhe perguntaram: ‘Queres que vamos arrancar o joio?’

O dono respondeu: ‘Não! Pode acontecer que, arrancando o joio, arranqueis também o trigo. Deixai crescer um e outro até a colheita! E, no tempo da colheita, direi aos que cortam o trigo: arrancai primeiro o joio e amarrai-o em feixes para ser queimado! Recolhei, porém, o trigo no meu celeiro!’”

Jesus contou-lhes outra parábola: “O Reino dos Céus é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo. Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E torna-se uma árvore, de modo que os pássaros vêm e fazem ninhos em seus ramos”.

Jesus contou-lhes ainda uma outra parábola: “O Reino dos Céus é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado”.

Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões. Nada lhes falava sem usar parábolas, para se cumprir o que foi dito pelo profeta: “Abrirei a boca para falar em parábolas; vou proclamar coisas escondidas desde a criação do mundo”.

Então Jesus deixou as multidões e foi para casa. Seus discípulos aproximaram-se dele e disseram: “Explica-nos a parábola do joio!”

Jesus respondeu: “Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem. O campo é o mundo. A boa semente são os que pertencem ao Reino. O joio são os que pertencem ao Maligno. O inimigo que semeou o joio é o diabo. A colheita é o fim dos tempos. Os ceifeiros são os anjos. Como o joio é recolhido e queimado ao fogo, assim também acontecerá no fim dos tempos: o Filho do Homem enviará seus anjos, e eles retirarão do seu Reino todos os que fazem outros pecar e os que praticam o mal; e depois os lançarão na fornalha de fogo. Aí haverá choro e ranger de dentes.

Então os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça”. 

sábado, 19 de julho de 2014

Evangelho do dia - 19/07/2014


Evangelho (Mt 12,14-21)

Naquele tempo, os fariseus saíram e fizeram um plano para matar Jesus. Ao saber disso, Jesus retirou-se dali. Grandes multidões o seguiram, e ele curou a todos. E ordenou-lhes que não dissessem quem ele era, para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías:

“Eis o meu servo, que escolhi; o meu amado, no qual ponho a minha afeição; porei sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará às nações o direito. Ele não discutirá, nem gritará, e ninguém ouvirá a sua voz nas praças. Não quebrará o caniço rachado, nem apagará o pavio que ainda fumega, até que faça triunfar o direito. Em seu nome as nações depositarão a sua esperança”.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Evangelho do dia - 18/07/2014

Evangelho (Mt 12,1-8)

Naquele tempo, Jesus passou no meio de uma plantação num dia de sábado. Seus discípulos tinham fome e começaram a apanhar espigas para comer. Vendo isso, os fariseus disseram-lhe: “Olha, os teus discípulos estão fazendo o que não é permitido fazer em dia de sábado!”

Jesus respondeu-lhes: “Nunca lestes o que fez Davi, quando ele e seus companheiros sentiram fome? Como entrou na casa de Deus e todos comeram os pães da oferenda que nem a ele nem aos seus companheiros era permitido comer, mas unicamente aos sacerdotes? Ou nunca lestes na Lei, que em dia de sábado, no Templo, os sacerdotes violam o sábado sem contrair culpa alguma?

Ora, eu vos digo: aqui está quem é maior do que o Templo. Se tivésseis compreendido o que significa: ‘Quero a misericórdia e não o sacrifício’, não teríeis condenado os inocentes. De fato, o Filho do Homem é senhor do sábado”.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Desde sempre


Pré-Noviças participam de Semana Missionária - Por Diana Patricia Ballesteros Pérez


Durante o estágio de preparação para o noviciado em Salvador-BA, Marlene Bravo e Diana Ballesteros, foram convidadas pela Congregação da Santa Cruz para participar de uma semana missionária de 03 a 14 de julho na cidade de Bonito - Bahia.

No primeiro dia participaram de um programa de rádio, onde foram entrevistadas pelo padre Giorlando Barbosa, falando sobre vocação. A acolhida da cidade de Bonito foi muito alegre e cheia de sentimentos de acolhida, uma missa de envio foi celebrada artilhando com oito comunidades as quais foram destinados todos os missionários (Irmãs, Irmãos, Padres e pessoas das mesmas comunidades). 

Durante a semana, rezaram o terço vespertino, visitaram as famílias e estabelecimentos comerciais, na noite realizaram encontros com o povo. Na quinta feira as duas pré-noviças aceitaram convite pelo professor Leo Damasceno, para fazer uma palestra na escola Herbert de Souza e falar sobre a prostituição e seu impacto na juventude; os alunos receberam a mensagem com abertura e interesse, foi uma grande oportunidade para dar a conhecer a nossa Missão, a Congregação e seu caminhar junto com a mulher.

Na sexta feira visitaram uma fazenda cafeteira, e no dia seguinte uma gruta pré-histórica, as duas qualificaram esta experiência como inesquecível junto com a equipe dos missionários, na tarde do mesmo dia, encontram com os jovens e as famílias, e na noite foi teve a “noite cultural” onde todas as comunidades fizeram uma apresentação do mais importante de sua cultura. Ao final todos dançaram ao ritmo do forró. 

No domingo a missão foi finalizada com a Celebração Eucarística junto com as comunidades, presidida pelo Dom André, Bispo da Diocese de Rui Barbosa. 

“Levamos grandes lembranças desta missão no coração para nosso processo formativo e vocacional, e, sobretudo agradecemos a Deus por permitir o encontro com Ele nas  pessoas deste povo lindo de Bonito. Obrigada Família Santa Cruz pelo convite.” 


Evangelho do dia -17/07/2014

Evangelho (Mt 11,28-30)

Naquele tempo, tomou Jesus a palavra e disse: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso.

Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Nova etapa do noviciado - por Luiza Pralon


Com muita alegria fomos recebidas nesta nova terra (Argentina), para iniciar uma linda experiência. 

Chegamos dia 7 de julho, e no aeroporto já estavam as Irmãs: Puri, da comunidade Padre Serra em La Boa, Shir e Mirta da comunidade de Rosário, e Mª de La Visitación da comunidade de Ramos Mejia, que nos recepcionaram com muita alegria.

O coração já se sentia acalentado pela acolhida expressa no olhar que nos dizia com muita alegria: Sejam Bem vindas! Que também estavam escrito em cartazes.

Neste dia fomos direto para Ramos Mejia, onde nos hospedamos e conhecemos a comunidade. Saboreamos um   e um delicioso almoço feito com muito carinho, e passamos o dia com elas partilhado a vida.

Nesta primeira semana foram momentos de conhecer e deixar-se conhecer, de se abrir ao novo que a cada dia desabrochava como uma linda flor mostrando sua beleza e seu perfume.

O coração sente gratidão a Deus por tantas experiências que são verdadeiros presentes que chegam a cada dia até nós.


Evangelho do dia - 16/07/2014

Evangelho (Mt 12,46-50)

Naquele tempo, enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo”.

Jesus perguntou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?” E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos. Pois, todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Evangelho do dia - 15/07/2014

Evangelho (Mt 11,20-24)

Naquele tempo, Jesus começou a censurar as cidades onde fora realizada a maior parte de seus milagres, porque não se tinham convertido.

“Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se os milagres que se realizaram no meio de vós, tivessem sido feitos em Tiro e Sidônia, há muito tempo elas teriam feito penitência, vestindo-se de cilício e cobrindo-se de cinza.

Pois bem! Eu vos digo: no dia do julgamento, Tiro e Sidônia serão tratadas com menos dureza do que vós. E tu, Cafarnaum! Acaso serás erguida até o céu? Não! Serás jogada no inferno! Porque, se os milagres que foram realizados no meio de ti tivessem sido feitos em Sodoma, ela existiria até hoje! Eu, porém, vos digo: no dia do juízo, Sodoma será tratada com menos dureza do que vós!”

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Evangelho do dia - 14/07/2014

Evangelho (Mt 10,34–11,1)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:“Não penseis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer a paz, mas sim a espada. De fato, vim separar o filho de seu pai, a filha de sua mãe, a nora de sua sogra.

E os inimigos do homem serão os seus próprios familiares. Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim, não é digno de mim. Quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim, não é digno de mim. Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim.

Quem procura conservar a sua vida vai perdê-la. E quem perde a sua vida por causa de mim, vai encontrá-la. Quem vos recebe a mim recebe; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou. Quem recebe um profeta, por ser profeta, receberá a recompensa de profeta. E quem recebe um justo, por ser justo, receberá a recompensa de justo. Quem der, ainda que seja apenas um copo de água fresca, a um desses pequeninos, por ser meu discípulo, em verdade vos digo: não perderá a sua recompensa”. Quando Jesus acabou de dar essas instruções aos doze discípulos, partiu daí, a fim de ensinar e pregar nas cidades deles.

domingo, 13 de julho de 2014

Evangelho do dia - 13/07/2014

Evangelho (Mt 13,1-23)

Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da Galileia. Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso, Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia.
E disse-lhes muitas coisas em parábolas: “O semeador saiu para semear. Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram.

Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. Mas, quando o sol apareceu, as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz. Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas.
Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. Quem tem ouvidos, ouça!”
Os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que falas ao povo em parábolas?”

Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos Céus, mas a eles não é dado. Pois à pessoa que tem será dado ainda mais, e terá em abundância; mas à pessoa que não tem será tirado até o pouco que tem.

É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque olhando, eles não veem, e ouvindo, eles não escutam nem compreendem. Desse modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir, sem nada entender. Havereis de olhar, sem nada ver. Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’.

Felizes sois vós, porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes, e não viram, desejaram ouvir o que ouvis, e não ouviram.

Ouvi, portanto, a parábola do semeador: Todo aquele que ouve a palavra do Reino e não a compreende, vem o Maligno e rouba o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho.

A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria; mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento; quando chega o sofrimento ou a perseguição, por causa da palavra, ele desiste logo. A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a palavra, mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a palavra, e ele não dá fruto.
A semente que caiu em terra boa é aquele que ouve a palavra e a compreende. Esse produz fruto. Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”.

sábado, 12 de julho de 2014

Evangelho do dia - 12/07/2014

Evangelho (Mt 10,24-33)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “O discípulo não está acima do mestre, nem o servo acima do seu senhor. Para o discípulo, basta ser como o seu mestre, e para o servo, ser como o seu senhor. Se ao dono da casa eles chamaram de Bel­zebu, quanto mais aos seus familiares!

Não tenhais medo deles, pois nada há de encoberto que não seja revelado, e nada há de escondido que não seja conhecido. O que vos digo na escuridão, dizei-o à luz do dia; o que escutais ao pé do ouvido, pro­clamai-o sobre os telhados! Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma! Pelo contrário, temei aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno!

Não se vendem dois pardais por algumas moedas? No entanto, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do vosso Pai. Quanto a vós, até os cabelos da cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais.

Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Evangelho do dia -11/07/2014

Evangelho (Mt 10,16-23)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Eis que eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas. Cuidado com os homens, porque eles vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas.

Vós sereis levados diante de governadores e reis, por minha causa, para dar testemunho diante deles e das nações. Quando vos entregarem, não fiqueis preocupados como falar ou o que dizer. Então naquele momento vos será indicado o que deveis dizer. Com efeito, não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai é que falará através de vós.

O irmão entregará à morte o próprio irmão; o pai entregará o filho; os filhos se levantarão contra seus pais, e os matarão. Vós sereis odiados por todos, por causa de meu nome. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo. Quando vos perseguirem numa cidade, fugi para outra. Em verdade vos digo, vós não aca­bareis de percorrer as cidades de Israel, antes que venha o Filho do Homem.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Unidade Antonia celebra envio das Noviças


No dia 04 de Julho na Unidade Antonia, Santo Amaro – São Paulo, aconteceu a celebração do envio das noviças Ana Paula, Brenda, Evelyn, Luisa e Priscilla, para a experiência apostólica da etapa do noviciado na Argentina, Uruguai e  Brasil. Estiveram presentes, neste momento a equipe da unidade Antonia e as Irmãs Alejandra e Ir.Maria Helena da comunidade de  formação.  

As noviças fizeram parte da equipe da Unidade Antonia durante o ano de 2013 e 2014 , se doando e contribuindo no compromisso social com a mulher em situação de prostituição. Foram momentos de renovação, crescimento ter a presença de cada uma delas na nossa  Unidade.

A luz da Palavra de Deus, refletimos o texto de Mateus 9, 35 – 10, 1-11, adaptado por Ir. Lucia Alves ao qual dizia “Doem-se nessa nova missão a vocês confiadas, pois vocês receberam de graça, deem também de graça”, refletimos o sentido do envio a uma missão. 


Para concretizar este momento de Graça ao qual estávamos vivendo. Ir. Lúcia Alves conduziu o momento com a unção com óleo perfumado que representa a consagração, força, o discípulo ungido que vai levar esperança e coragem a quem o encontrar por onde passar. Cada uma das noviças foi ungida pela equipe e convidadas a ungir a equipe que fica em terras Brasileiras para continuar a missão.





Jesus Redentor envia as cinco com as seguintes recomendações: “Vão ao encontro das mulheres mais excluídas, discriminadas e vitimas de preconceito. Peçam  Sabedoria Divina! Coragem! Vocês são mulheres lutadoras, audaciosas e merecem respeito”. 

Nós da Unidade Antonia Agradecemos a Deus pela linda experiência vivida com cada uma e a grande contribuição que elas proporcionaram à vida das mulheres no contexto da prostituição, atendidas pela unidade Antonia. 


Estamos unidas com nosso coração e oração nesta nova experiência  do grupo.

Texto: Samara Lima, Postulante Oblata e Ir. Lúcia Alves

Ele se faz


Evangelho do dia - 10/07/2014

Evangelho (Mt 10,7-15)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!

Não leveis ouro nem prata nem dinheiro nos vossos cintos; nem sacola para o caminho, nem duas túnicas nem sandálias nem bastão, porque o operário tem direito a seu sustento. Em qualquer cidade ou povoado onde en­trar­des, informai-vos para saber quem ali seja digno. Hos­pedai-vos com ele até a vossa partida.

Ao entrardes numa casa, saudai-a. Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz. Se alguém não vos receber, nem escutar vossa palavra, saí daquela casa ou daquela cidade, e sacudi a poeira dos vossos pés. Em verdade vos digo, as cidades de Sodoma e Gomorra serão tratadas com menos dureza do que aquela cidade, no dia do juízo.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Evangelho do dia - 09/07/2014

Evangelho (Mt 10,1-7)

Naquele tempo, Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder de expulsar os espíritos maus e de curar todo tipo de doença e enfermidade. Estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; Filipe e Bartolo­meu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; Simão, o Zelota, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus. Jesus enviou estes Doze, com as seguintes recomendações: “Não deveis ir aonde moram os pagãos, nem entrar nas cidades dos samaritanos! Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’”.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Evangelho do dia - 08/07/2014

Evangelho (Mt 9,32-38)

Naquele tempo, apresentaram a Jesus um homem mudo, que estava possuído pelo demônio. Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar. As multidões ficaram admiradas e diziam: “Nunca se viu coisa igual em Israel”. Os fariseus, porém, diziam: “É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios”.

Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino, e curando todo o tipo de doença e enfermidade. Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Evangelho do dia - 07/07/2014

Evangelho (Mt 9,18-26)

Enquanto Jesus estava falando, um chefe aproximou-se, inclinou-se profundamente diante dele, e disse: “Minha filha acaba de morrer. Mas vem, impõe tua mão sobre ela e ela viverá”.

Jesus levantou-se e o seguiu, junto com os seus discípulos. Nisto, uma mulher que sofria de hemorragia há doze anos veio por trás dele e tocou a barra de seu manto. Ela pensava consigo: “Se eu conseguir ao menos tocar no manto dele, ficarei curada”. Jesus voltou-se e, ao vê-la, disse: “Coragem, filha! A tua fé te salvou”. E a mulher ficou curada a partir daquele instante.

Chegando à casa do chefe, Jesus viu os tocadores de flauta e a multidão alvoroçada, e disse: “Retirai-vos, porque a menina não morreu, mas está dormindo”. E começaram a caçoar dele. Quando a multidão foi afastada, Jesus entrou, tomou a menina pela mão, e ela se levantou. Essa notícia espalhou-se por toda aquela região.

Em novos caminhos - por Priscilla Fernandes

Neste dia 07 de julho as noviças Ana Paula, Evelyn, Luiza e Priscilla dão mais um novo passo em suas caminhadas vocacionais. Hoje, elas iniciam a nova etapa do noviciado em comunidades Oblatas de Argentina e Uruguai.

A noviça Priscilla Fernandes escreveu um texto especial, transmitindo a alegria e agradecimento à todas experiências vividas e a ansiedade pela nova caminhada.

Confira:



"Após um ano de noviciado chegou o grande dia! Dia de dar mais um passo na vontade de Deus, de lançar as redes, e desta vez lanço as redes para o Uruguai.

Com o coração agradecido por tudo que foi vivido, partilhado e experimentado neste ano, minha eterna gratidão a Deus por tantas alegrias, caminhos construídos e desafios, que serviram de aprendizado e crescimento. 

Faço agradecimentos a minha comunidade que fez este caminho junto comigo, a minha família que sempre esteve ao meu lado e aos amigos, seja de perto ou de longe fazem o caminho junto comigo. E hoje, sendo chamada a viver minha vocação no Uruguai, a ser e fazer comunidade, a ir ao encontro da mulher em situação de prostituição e deixar Deus conduzir, estando aberta a este novo que ELE me presenteia.

E com muita alegria que me lanço mais uma vez, com o coração muito feliz e disposto a viver tudo o que Ele já me reserva.

Na certeza de que Cristo fará este caminho junto comigo e que  Padre Serra e Madre Antonia sempre estará intercedendo por este novo que já se inicia, pois os preparativos já começaram e os sentimentos já são todos os possíveis,  entrego este momento em nas mãos do Redentor  para que eu possa "Trilhar os seus caminhos e na medida do possível me assemelhar a ELE."




domingo, 6 de julho de 2014

Evangelho do dia 06/07/2014

Evangelho (Mt 11,25-30)

Naquele tempo, Jesus pôs-se a dizer: “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado.

Tudo me foi entregue por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.

Vinde a mim, todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.

sábado, 5 de julho de 2014

Evangelho do dia 05/07/2014

Evangelho (Mt 9,14-17)

Naquele tempo, os discípulos de João aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Por que razão nós e os fariseus praticamos jejuns, mas os teus discípulos não?” Disse-lhes Jesus: “Por acaso, os amigos do noivo podem estar de luto enquanto o noivo está com eles? Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, sim, eles jejuarão.

Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, porque o remendo repuxa a roupa e o rasgão fica maior ainda. Também não se põe vinho novo em odres velhos, senão os odres se arrebentam, o vinho se derrama e os odres se perdem. Mas vinho novo se põe em odres novos, e assim os dois se conservam”.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Evangelho do dia 04/07/2014

Evangelho (Mt 9,9-13)

Naquele tempo, Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu a Jesus. Enquanto Jesus estava à mesa, em casa de Mateus, vieram muitos cobradores de impostos e pecadores e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos.

Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os cobradores de impostos e pecadores?” Jesus ouviu a pergunta e respondeu: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. A­prendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. De fato, eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Aliança


Evangelho do dia 03/07/2014

Evangelho (Jo 20,24-29)

Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio.Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!” Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.

Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”. Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”