Vocacional Oblata: Março 2014

segunda-feira, 31 de março de 2014

Partilhando experiências - Por Samara Lima

Por escutar uma voz que disse que faltava gente pra semear, 
Deixei meu lar e saí sorrindo e assobiando pra não chorar.
Fui me alistar entre os operários que deixam tudo pra te levar.
E fui lutar por um mundo novo, Não tenho lar, mas ganhei um povo.
 Cidadão do Infinito. (Padre Zezinho).

Com imensa alegria e o coração cheio de saudades no dia 17 de março de 2014, fiz meu êxodo da cidade de Goiânia a São Paulo para viver a experiência interna na Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor. 

Em terras Goianas vivi a realidade de faculdade, trabalho e de minha busca vocacional. Durante quatro anos fui privilegiada por morar em uma cidade acolhedora, onde criei laços familiares, de amizades verdadeiras que marcaram minha história e meu processo vocacional.

A chegada sempre encanta e anima, e o acolhimento eterniza a alma. 
A abertura envolve o encontro que concretiza laços de afetividade e fortalece nossa caminhada.  E tudo aconteceu ao fim da tarde de uma segunda-feira, quando por volta das 18h30 cheguei a terras Paulistanas. Os sentimentos que me vieram ao coração eram de abertura ao novo, medo e fé para esse novo começo.

Tive o privilegio de ser recepcionada com alegria e os sorrisos acolhedores das noviças Oblatas Luiza e Ana Paula que me levaram à comunidade do Noviciado Santíssimo Redentor para encontramos as demais Noviças e Irmãs da Província que naquele dia teriam encerado as atividades do Capitula geral.  Momento único e emocionante de convivência que marcou bastante esta minha primeira experiência. 

Na manhã do dia 18 de março fui acompanhada pela Pré-Noviça Marlene até a comunidade Nossa Senhora Aparecida, para conhecer a Equipe do Governo Geral, onde também conheci o espaço da Pastoral Vocacional . 

Um encontro fortíssimo, intenso e breve, onde fui marcada pela alegria, sorriso, acolhimento e simplicidade de cada Irmã em sua forma Oblata de Ser. Marlene e eu seguimos para conhecer as Irmãs da Comunidade Betânia, onde também se encontravam as Irmãs de Angola que nos receberam muito bem, e ali almoçamos e trocamos experiências me situando neste lugar histórico e muito lindo.

No dia 20 de Março ainda na comunidade do Noviciado, logo após o almoço, Irmã Lúcia Alves chegou para levar até a comunidade Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, local onde irei morar com ela e as Irmãs Manuela e Lúcia Wleber, que me receberam com muito carinho, calor humano e muito amor.  Momento lindo.

Agora, desde aqui, desta nova realidade, continuo minha caminhada vocacional, e continuo também meu processo de formação que corresponde a essa etapa que estou vivenciado - postulando. Sigo com muita alegria e entusiasmo pedindo a Deus e aos Pais fundadores a graça da abertura, da escuta, liberdade e fidelidade para viver intensamente esta nova etapa.


Quero agradecer a todas as Irmãs, noviças e pré-noviça desta Província por toda acolhida e carinho. Conto com a oração de cada uma. 

Que Jesus Redentor nos conduza hoje e sempre.
Samara Lima Pré-Postulante da Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor .


sexta-feira, 14 de março de 2014

16 de março: Nascimento da Fundadora das Irmãs Oblatas - Por Priscilla Fernandes

Antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; 
antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado, 
e te havia designado profeta das nações”. Jr 1,5

       
    Antonia Maria Vitória Joana Oviedo y Schontal, era seu nome de batismo. E foi as vésperas da primavera, em 16 de março de 1822, às 2 horas da manhã, em Lausana (Suíça), que Deus nos presenteou com seu nascimento.

            Esta mulher que anos mais tarde assumiu o nome de Antonia Maria da Misericórdia – nome este que fala muito de si – e justamente com Padre José Maria Benito Serra se tornou fundadora de nossa Congregação, a Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor.

            Ela que chegou para marcar toda uma época, ou melhor, para modificar vidas! Transformou e transforma histórias não somente de nós Irmãs Oblatas, e de cada mulher em situação de prostituição atendida, mas também de cada leigo (a), agente Pastoral e funcionários (as) que nesses quase 150 anos de missão tiveram e têm contato com nossa Congregação e Projetos.

            Antonia, mulher que deixou sua marca e um grande legado, mulher de personalidade forte e decidida, mulher que soube ser Mãe e Mestra; de uma espiritualidade e pedagogia sem igual.

            Antonia... Uma menina que não teve a oportunidade de conhecer seu pai, pois ainda recém-nascida ele parte para Londres por melhores condições de trabalho, para nunca mais voltar. Ele falece quando Antonia ainda tinha 13 anos e morre nos braços de Susana (mãe de Antonia), pois esta vai ao encontro de seu marido quando sabe que este estava doente.

            Esta pequena menina que já na sua infância passava por grandes provações, se deixou conduzir pelo Espirito... e se tornou uma grande e admirável mulher. Ela se torna educadora das filhas da Rainha, vira uma mulher da corte e faz o mais lindo e com certeza desafiante processo de entrega, de oblação da própria vida.

            Após um processo de discernimento, dúvidas, medos, incertezas, Antonia Maria de Oviedo y Schontal tem seu primeiro contato com as mulheres em situação de prostituição. Ela colocou o “pé’ na realidade, assim como Jesus que se encarnou na realidade, experimentou o cotidiano de seu povo, Antonia desceu, saiu do Palácio e se encarnou no cotidiano delas, “Eu vi a aflição do meu povo... ouvi os seus clamores por causa de seus opressores.. E desci para livrá-lo” Ex 3,7-8.

            E na certeza que este Deus que a fez descer, estaria a acompanhando, ela diz o seu SIM a Deus, a seu chamado, a sua Obra.


            Hoje, nossos corações agradecidos a Deus rejubilam e alegram-se pelos 192 anos de seu nascimento. 
Priscilla Fernandes.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Equipe do Governo Geral visita comunidade Santíssimo Redentor - Por Priscilla Fernandes


Experiência de Encontro de criação de vínculos e de proximidade. Foram dois dias de muita alegria e de partilha de vida. Na chegada recebemos com um canto de boas vindas e em seguida cantamos parabéns para a Ir. Julita, que tinha feio aniversário um dia antes. Foi um dia muito esperado e preparado com muito carinho.

Na tarde de terça- feira partilhamos com o Governo a vivencia de nossa realidade, de nosso dia a dia e também um pouco da trajetória vocacional de cada formanda. E elas partilhavam um pouco sobre o serviço do governo geral, a unificação e o último documento capitular e suas linhas de ação.

A noite foi regada por um deliciosa pizza preparada pelas noviças. E na quarta- feira fomos a Catedral da Sé participar da abertura da Campanha da Fraternidade, com a missa presidida pelo Arcebispo Dom Odilo, retomamos e tivemos uma tarde muito descontraída e de muita convivência.

Posso dizer que foram dias de unidade de muita relação e viver Com/Partilhar a vida, estreitando os laços de Família Oblata que somos.



Veja mais imagens desta visita:






terça-feira, 11 de março de 2014

Abertura da CF 2014 na comunidade Nazaré - Por Ir. Beatriz


Na tarde do dia 5 de março, 4ª Feira de Cinzas, em sintonia com a Igreja do Brasil, fizemos a abertura comunitária da Campanha da Fraternidade 2014 que tem um tema tão nosso, o “tráfico humano”, sobretudo quando ele visa a exploração sexual de mulheres. Assistimos ao vídeo preparado pela CNBB que aborda as diversas realidades do tráfico de seres humanos que tocou profundo o nosso coração. Ao final nos comprometemos a seguir orando e intercedendo pelas pessoas e movimentos que, dentro e fora da Igreja, lutam em defesa da dignidade humana e no enfrentamento ao tráfico de pessoas.


Encontro com a equipe de trabalho da Comunidade Nazaré - Por Ir. Beatriz

Na manhã do dia 27 de fevereiro, véspera da memória da páscoa da Madre Antonia, realizamos um encontro com a equipe de trabalho da nossa comunidade formada por funcionárias e um funcionário.

Começamos com um momento de oração seguido de uma breve apresentação, cada uma partilhando qual era o seu serviço antes de trabalhar aqui e o que significa na sua vida profissional trabalhar com pessoas idosas.

Em seguida apresentamos um pouco da história da Missão da nossa Congregação e da pastoral desenvolvida no Brasil que foi sensibilizando a tod@s. 

Após o intervalo apresentamos o “Envelhecendo com Graça”, nosso Projeto Comunitário Apostólico e refletimos sobre a importância de um trabalho de equipe, dialogando com o grupo que ia se envolvendo e enriquecendo a conversa. Concluímos com o vídeo “Sapateado”.

Foi a primeira experiência de uma reunião com toda a equipe e vamos manter encontros periódicos para que possamos fortalecer um trabalho de equipe.


Visita fraterna da Equipe Geral na Comunidade Nazaré- Por Ir. Beatriz



Dos dias 21 a 23 de fevereiro nossa comunidade viveu momentos de riqueza e partilha, convivência e alegria com a presença da equipe geral da nossa Congregação!

Foi tão bom! Tivemos dois encontros, refletindo os temas que trouxeram para partilhar com todas as comunidades onde escutamos e fomos escutadas. Vivemos momentos ao redor da mesa que, além de nos alimentar, é também momento de convivência.

E na tarde do sábado, dia 22, algumas irmãs da comunidade com as da Equipe Geral, fomos passear e apresentar a elas o Pão de Açúcar, um dos cartões postais da cidade!

E no domingo, dia 23, depois da foto oficial, elas seguiram viagem, deixando-nos com uma marca de alegria e de fraternidade que fortaleceu a nossa pertença e comunhão congregacional!


Oficina da Memória na Comunidade Nazaré- por Ir. Beatriz


No dia 20 de fevereiro tivemos o último encontro da Oficina da Memória, já que devido à falta de verba, tivemos que encerrar as atividades que vinham sendo desenvolvidas em todas as manhãs das quintas-feiras pela equipe formada pela Dra. Tânia Guerreiro, geriatra, Elsa Gonçalves, psicóloga, e Juliana Lauria, fisioterapeuta.

Foi um encontro especial onde refletimos sobre felicidade, sobre a importância de termos um foco na vida e que a nossa felicidade, a nossa alegria, o nosso bem estar dependem das nossas escolhas.

Terminamos com uma profunda gratidão por todas as experiências vividas desde quando começamos e todas expressamos o desejo a seguir nos comprometendo com o crescimento e amadurecimento das nossas escolhas para que possamos viver envelhecendo com graça!


sexta-feira, 7 de março de 2014

8 de março - Dia Internacional da Mulher

Dia da Mulher, momento para lembrar e celebrar as lutas e conquistas de milhares de mulheres no mundo. Mas uma data para refletirmos quantas vidas femininas necessitam de uma mão amiga, de um impulso para resgatar sua própria vida e História. 


SOMENTE SOU 
                                                                                                          Ir. Marilda de Souza



Preciso saber, seu nome mulher?
Meu nome, Deixa eu me lembrar... 
Já me chamaram de tantos nomes, apelidos, 
sobrenomes, que nem me sei quem sou. 
Bom me chamam de “Dita”, de Valdita, fui batizada assim.

Por favor, me dê seu CPF, RG, comprovante
de residência e outros documentos que tenha ai. 
Tenho nada disso não senhora. 
Se tinha, perdi pelo mundo afora.
O primeiro que perdi foi o tal de CPF
(era do Centro de Partida de Futebol?), mesmo sendo mulher 
gosto de ver a bola rolar, ou melhor, gostava. 
Hoje nem posso ver.
Foi a máfia do futebol que se aproximou de mim,
encheu de elogios minha “fia” e eu nunca mais vi.
redondo pra mim só a lua, o sol, nada mais...

   O meu RG, aquele que tem uma 
      fotinha, joguei no primeiro matagal
  que encontrei no meu caminho. 
     Sabe, o que me identificava, tirou 
    o pouco da vida que me restava.

Eu não moro, habito, aqui e ali. 
                   Sou coberta pelo tempo, num tapete de luar. 
       Minha companheira é a estrela Dalva, 
     conto tudo pra ela, não guardo nada. 
                         Nossa conversa acontece quando todos dormem,
aproveito sua hora de plantão. 

Parece uma vida diferente, e é. 
O vento na cara, o frio no pé, 
é suave, mas às vezes dói. 

Me vejo sob olhares que corrói, mas que faz de mim
eu, a mulher que o tempo moldou. 
Sonhadora e que precisa a cada noite 
De um tapete de estrelas.